Terça, 17 de novembro de 2020, 12h54

monitoramento

Crefito-9 acompanha visita técnica a centros de tratamento de hanseníase

Parceria visa inserir pacientes de hanseníase em rede integral atenção à saúde e reabilitação



Mylena Petrucelli
Comunicação Crefito-9

Visita Instituto Hanseníase (2)

 

 A presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 9ª Região (Crefito-9), Ingridh Farina da Silva, acompanhou na tarde dessa segunda-feira (16 de novembro) o trabalho da Secretaria de Estado de Saúde em parceria com o Instituto Alliance Against Leprosy (Aliança Contra a Hanseníase), sediado no Paraná, em prol da rede de cuidados integrais e reabilitação para a hanseníase.  

 

Como início do trabalho, as equipes visitaram o Centro Estadual de Referência de Média e Alta Complexidade (Cermac) e o Centro de Reabilitação Integral Dom Aquino Corrêa (Cridac) e se reuniram na sede do Crefito-9, no intuito de apresentar o contexto da hanseníase em Mato Grosso e discutir novas perspectivas para a inserção do paciente com hanseníase na rede.

 

"A hanseníase é uma doença extremamente complexa, que envolve atendimento crônico, cirurgias reparadoras, sistemas de órteses e próteses, exames laboratoriais e tudo isso precisa ser regido por um sistema eficaz. A importância da parceria está em aprimorar a rede de atendimento como um todo no estado do Mato Grosso, tanto a nível municipal, regional e estadual", pontuou a presidente do instituto, a médica hansenologista Laila de Laguiche.

 

Visita Instituto Hanseníase (1)

 

Oficina ortopédica itinerante

 

Por meio da parceria, uma unidade móvel de sapataria percorrerá diversas cidades de Mato Grosso, atendendo as 16 regiões de saúde. Também haverá oferta de teleconsultorias e teleconsultas médicas desenvolvidas por especialistas em hansenologia e capacitações multiprofissionais, garantindo suporte especializado aos pacientes.

 

A presidente Ingridh Farina ressaltou a importância de atuar pela inserção do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional nas políticas públicas de reabilitação, sobretudo em doenças como a hanseníase, que podem causar graves sequelas na saúde funcional dos pacientes.

 

Visita Instituto Hanseníase (3)

 

“A atuação do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional nessa área é extremamente importante porque os pacientes de hanseníase têm alto risco de incapacidade. Esses profissionais são peças-chave em todas as fases do tratamento, prevenção de incapacidades e reabilitação Mato Grosso é um estado hiperendêmico que tem uma detecção de hanseníase muito alta, inclusive entre crianças”, destaca a presidente do Conselho.

 


Fonte: Crefito9
Visite o website: https://crefito9.org.br/